Sobre abraçar a si mesma

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Tenho apreciado bastante a minha própria companhia nos últimos dias. Isso vai além de ver graça nos cafés que eu tomo sozinha. Sinto que a conexão que tenho com quem eu sou tem aflorado de um jeito muito bonito e me fortalecido muito enquanto ser humano. Ter consciência do bem que isso me faz não significa me isolar do mundo ou me fechar às pessoas que amo. Significa apenas que se qualquer coisa der errado nessa vida, ainda terei eu e isso vai bastar. 

Semana passada, fui matar um tempinho na livraria do centro antes de dar o horário da terapia. Fui à seção infantil ver se eu achava algo pra minha prima. Não achei. Fui até a parte dos quadrinhos tentar encontrar algo pro meu namorado. Nada. Então, como se eu mesma me desse uma bronca, pensei: "por que você não simplesmente compra algo pra si mesma?". Foi o que eu fiz.


Achei um livro de capa chamativa. A princípio recuei, porque me pareceu bem bobinho. Li a sinopse, a primeira página, dei uma folheada rápida e gostei da calma que aquele momento me trouxe. A universidade te faz se acostumar a ler coisas muito densas e complicadas. Muitas delas são ótimas, fazem teu cérebro meio que expandir, sabe? Mas nesse momento, às vésperas das férias de verão, achei sensato ler algo mais leve.

Não só comprei um livro, como também me dei de presente um caderninho para fazer de sketchbook. Ainda não comentei aqui no blog, mas eu sempre amei desenhar. Tenho um potão cheio de lápis de cor, alguns da época do pré. Refletindo comigo mesma, reparei que desde que comecei a me relacionar com o Vini - que é ilustrador -, fui me afastando dessa atividade, que sempre me inspirou tanto. Nessa onda de focar em mim, resolvi voltar a desenhar. Quem sabe eu não compartilhe aqui minhas artes?

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 23 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo muito café. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

0 comentário (s)