Que a deusa nos livre das férias produtivas

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Já faz uma semana que cheguei em Santos e estou oficialmente de férias - ainda tem uma ou outra matéria pra escrever pro estágio, mas tô home office e praticamente não tenho recebido demanda.  Mesmo assim, meu corpo e mente insistem em achar que tem algo estranho, sabe? Como se faltasse alguma coisa pra fazer. 

Deduzi que seja por conta do ritmo acelerado que eu vivi no fim do semestre e que sem querer trouxe pras férias. A necessidade de fazer coisas produtivas me persegue todos os dias, mas a vontade de dormir e acordar tarde tem sido mais forte. 

Foi quando parei pra pensar que era exatamente disso que eu precisava. Descansar bastante, passar a tarde sem compromissos agendados. Chegar no whats pra miga que mora na porta do lado e falar "vamo?" e ela dizer "vamo", bem assim, sem planejar nada. Sair de casa às 14h pra almoçar com a mãe e voltar depois das 3h30 porque quis aproveitar a promoção de chopp dois por dez no quiosque da praia. 

Hoje acordei depois do meio dia e não me senti culpada. Fiquei feliz e resolvi compartilhar aqui (first class problems). O Vini passou a tarde jogando o video-game do meu irmão e eu me joguei no sofá, sem nada em mente pra realizar. A sensação de pegar um livro gostosinho pra ler sem a cobrança de anotar a quantidade de páginas ou riscar "lido" no skoob é muito boa - e bastante necessária. 

A gente, que faz mil coisas durante o ano e vive driblando o stress pra se manter equilibrada, às vezes esquece de utilizar os momentos de pausa pra literalmente pausar. A gente torce pro fim de semana chegar e se enfia em trezentos rolês que por vontade ou necessidade a gente se vê obrigada a ir. Quando domingo chega ao fim e a música do fantástico assombra nossos lares, a sensação que dá é que não descansamos nadinha.

Resolvi separar as minhas férias em alguns momentos. Pretendo sim viajar pra rever amigos, conhecer uns restaurantes tops e torrar meu VR neles, experimentar chopps incríveis para compensar todos os litrões de glacial que bebi durante o ano letivo, começar meu bullet journal 2018, tirar manhãs pra acordar cedinho e andar de bike na praia, ir a lugares lindos e registrar cada um deles em fotografias, mas também pretendo acordar a hora que quiser, me jogar no sofá, botar a playlist "chá com a rainha" no spotify e sentir a delícia que é se permitir fazer nada. 

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 23 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo muito café. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

0 comentário (s)