quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

O desesperador mundo dos hiperlinks

Há alguns dias, notei certa inquietação na forma como lido com as redes sociais. O problema não é o conteúdo que chega até mim, porque seleciono bem as pessoas que acompanho por aí. Falar de "saúde mental na internet" vai muito além de fazer uma limpa, detox ou seja lá o nome que inventaram para isso. A questão é que estar rodeada de informações úteis e interessantes não significa estar bem, muito menos em paz.

A sensação que tenho é que sempre estou atrasada ou perdendo algo. Abro algum blog ou perfil no instagram e me deparo com várias recomendações de livros, filmes, textos, músicas, séries, artigos, reportagens. Em uma única página, uma chuva de hiperlinks sedutores, que te fisgam quando você menos espera. Sem contar as inúmeras reflexões sobre a existência, a situação política do país, o que comemos, vestimos, consumimos, jogamos, falamos, respiramos. Eu adoro tudo isso, inclusive faço. A rede de pessoas que criei no universo online me fortalece e motiva. Porém, se eu deixo de fincar meus pés no presente e respirar fundo, nem que seja por um instante, sou engolida por todas essas informações e elas deixam de ser bonitas, me sufocam.

Dia desses, desinstalei o instagram. Quando me dei conta de que passei 2h30 nesse aplicativo em um único domingo, rapidamente percebi o que tava me fazendo respirar mal. Sentia o cérebro dançar na minha cabeça. Ter passado o dia seguinte inteirinho longe daquele pequeno mundo me fez muito bem, da mesma forma que ter aproveitado meu recesso de duas semanas na casa da minha família sem me preocupar com montar bullet journal, gravar vídeo, deixar o blog pronto, fazer texto sobre 2018 ou ter foto bonita - com reflexão foda pra legenda - todo dia pra postar.

Parece inofensivo, mas essa inquietação toda pode inclusive afetar nossa autoestima. Mesmo diante de conteúdos interessantes e de pessoas que a gente sabe que são firmeza, é necessário que a gente tenha maturidade. Ser maduro, nesse caso, é saber que aquilo é apenas uma narrativa criada por alguém, seja lá com qual intenção. Não endeuse pessoas que você acompanha na internet - e, pelo amor da deusa, eu me incluo nessa!

Pausas são necessárias, mesmo quando envolvem coisas que nos deixam felizinhos e inspirados. Resolvi trazer essa reflexão aqui porque ainda acho que pouca gente fala disso. Não adianta falar "galera, sou só mais um ser humano" e criar um conto de fadas na internet sobre a própria existência, sem estabelecer crítica alguma sobre isso.

E, com essa pequena divagação, retorno ao blog. Ele estava privado porque resolvi modificar o layout. Agora só falta mudar a foto do perfil pra uma mais recente, que no caso ainda não tirei. A retrospectiva do ano passado, comentários sobre a vida e lista sedutora de links fica pra próxima.
© Meus Cafés
Tema: Maira Gall | Modificado por Manie