sexta-feira, 6 de março de 2020

favoritos #1

dizem que quando a gente vira adulto, a gente perde a capacidade de enxergar simplicidade nas coisas. parece que tudo, de repente, precisa de cinquenta camadas de complicação. a gente começa a hesitar, a pensar demais e ter atitudes que nos paralisam. 

às vezes fico esperando estar super inspirada pra trazer aqui pra vocês uma reflexão incrível, mas a vida tem dessas: nem sempre a gente tá tão assim, inspirado a ponto de por pra fora em palavras nossas grandes ideias. 

tem dia que só dá vontade de compartilhar uns filmes, uns livros, uns vídeos legais. é isso que vou fazer a partir de hoje, nessa categoria de favoritos. eu tinha uma aqui chamada 'um de cada', mas acho que me limitava na medida em que só abria espaço para um item de cada categoria. agora, tá liberado indicar quantas coisas eu quiser. 

obs: apreciem com moderação. 
leiam só se quiserem.
assistam só se quiserem.
 não se afobem: vão devagar.
informação demais deixa a gente exausto.


álbum maravilhoso do the killers que eu ouvia quando era adolescente
tava ouvindo spotify enquanto organizava algumas paradas no trabalho e, por acaso, encontrei esse álbum do the killers. eu ouvia algumas dessas músicas quando tinha, sei lá, catorze anos. deu uma nostalgia muito boa. sou apaixonada pela voz do brandon flowers e ele - inteiro, com voz e tudo mais - é um dos meus grandes crushs da vida. fica aí a lista das músicas na ordem, pra quem não tem spotify (dá pra clicar em cada uma). pra quem tiver, é só clicar aqui.

tranquilize
shadowplay
all the pretty faces
leave the bourbon on the shelf
sweet talk
under the gun
where the white boys dance
show you how
move away
glamorous indie rock & roll
who let you go
the ballad of michael valentine
ruby don't take your love to town
daddy's eyes
sam's town
romeo and juliet
mr. brightside - jacques lu cont's thi white duke mix


um filme chamado lost in translation que é bem famosinho mas só vi na semana retrasada

tava há tempos pra ver esse filme porque gosto da scarlett johansson e do bill murray, e fiquei curiosa para ver a interação deles dois como protagonistas. me envolvi bastante com as personagens e achei tudo lindo demais. é um filme que fala sobre solidão e de como ela pode existir mesmo quando compartilhada.

eu não sabia absolutamente nada sobre ele antes de assistir (somente que foi dirigido pela sofia coppola), mas caso você queira ver o trailer, clica aqui.


um livro chamado controle, da natalia borges polesso
resolvi comprar esse livro quando entrei na livraria em busca de outro da mesma autora, o amora (que é um conjunto de contos com protagonistas lésbicas). porém, na ausência deste, acabei levando controle e não me arrependi.

nessas páginas, a gente acompanha um pedaço da vida da nanda, que descobre ter epilepsia ainda na infância. com o passar dos capítulos, vemos como suas relações foram se transformando, especialmente a que tem com a melhor amiga, joana, por quem é apaixonada.

a leitura fluiu bem demais, especialmente no final. adorei a escrita da natalia e a forma como ela conduziu o romance.


& otras cositas más_
. gostei muito da segunda temporada de sex education. sem palavras para o abracinho que essa série significa nos meus dias.
. vi outro filme maravilhoso, um dos mais bonitos que assisti ultimamente, chamado retrato de uma jovem em chamas. procurem saber sobre ele, caso estejam afim de assistir algo impecável de tão lindo.
. passei o mês de fevereiro inteiro lendo mulherzinhas, da louisa may alcott, e em breve termino. tô animada pra ver o filme, porque amo a diretora dele, a greta gerwig. 

Nenhum comentário

Postar um comentário

© Meus Cafés
template feito por Maira Gall
modificado por Manie